Curso: Planejamento Ecológico de Sistemas Integrados de Água para Construções + TOP100 no ArchDaily Brasil

A elaboração de estratégias para o redesenho da relação do Homem com nossas Águas é a base do nosso trabalho, e nos move além do lugar comum de simples projetistas. Somos sim técnicos, mas também ativistas, e pessoas sensíveis às causas dos Homens e das Águas. Acreditamos que a Água é muito mais do que um recurso, e deve ser tratada com toda reverência. Daí, nos entregamos em cada projeto para que sejam funcionais, sensíveis, por que não elegantes, e fundamentalmente educadores, oferecendo amostras reais, concretas, de uma nova e necessária realidade, e de integração entre os diversos projetistas envolvidos em projetos dessa natureza. Acreditamos que cada um de nossos projetos tem um importante papel a cumprir junto aos seus stakeholders, o de sensibilizar e educar para uma nova relação, absolutamente positiva e regeneradora com este precioso e gracioso líquido. Por isso tanto nos encoraja e alegra a listagem de 3 de nossos projetos entre os TOP100 obras da arquitetura brasileira dos últimos anos, segundo o site ArchDaily Brasil:

AD-TOP100+3.jpg

 

Harmonia 57 (2007/2008, por Triptyque Arquitetos): http://www.archdaily.com.br/br/01-16694/harmonia-57-triptyque

Casa LLM (2011, por Obra Arquitetos): http://www.archdaily.com.br/br/771285/casa-llm-obra-arquitetos

Estádio Nacional de Brasília (2012/2013, por Castro Mello Arquitetura Esportiva): http://www.archdaily.com.br/br/623873/estadio-nacional-de-brasilia-mane-garrincha-castro-mello-arquitetos

Apesar de serem projetos realizados em contextos e escalas absolutamente diferentes entre si, todos foram elaborados em estreita associação com os arquitetos, e em diversas medidas, com os clientes finais, o que ofereceu um grau de afinidade e de potencial trabalho conjunto que permitiu que pudéssemos ir além de soluções técnicas pontuais, buscando a integração entre o Homem, a Arquitetura, e as Águas. Movidos por esse desejo de levar o conceito, usualmente referido como “Manejo Integrado de Água”, em que a Água é abordada sob uma visão sistêmica com intervenções que tenham impacto positivo sobre o ambiente construído, ou seja, que colaborem na restauração dos ecossistemas, quer urbano ou rural, é que decidimos oferecer um primeiro curso de “Planejamento de sistemas ecológicos de água em construções”, ofertados a técnicos ou leigos, para que se difunda essa abordagem.

O local do curso, e também fruto de um maravilhoso trabalho desenvolvido entre 2013 e 2016, é o recém-inaugurado Bananal Ecolodge, uma pérola encravada no sertão do Ubatumirim, bairro rural de Ubatuba, litoral norte de SP. O projeto contou com a dedicação incansável e espírito visionário dos proprietários, do trabalho precioso do escritório OS3 Arquitetura, da arte das construções em bambu com Robert “Zunn” Harris, do paisagismo do Viveiro Caeté de Ubatuba, e da alegre criatividade do Cristiano “Gá” Akiyama, dedicado à execução dos sistemas de água: das instalações hidráulicas em PEAD ao aproveitamento de água de chuva, da construção do biodigestor aos tanques de tratamento com plantas aquáticas em superadobe (terra ensacada) e estrutura flutuante.

Para saber mais sobre o projeto executado no Bananal Ecolodge, acesse a pasta do projeto na nossa página do Facebook: https://www.facebook.com/fluxus.eco.br/photos/?tab=album&album_id=1171304949552103

O curso também foi desenhado para fortalecer os diversos grupos que já atuam com a temática do Saneamento Ecológico, e da criação de sistemas descentralizados de abastecimento e tratamento de águas servidas nesta região. Uma realidade fundamentalmente necessária para que atinjamos de fato a universalização do saneamento em todas as cidades do litoral norte, cuja formação impede a adoção de sistemas centralizados.

Espero ver muitos de vocês por lá!

Em gratidão,

Guilherme Castagna

————————————————————————————————————

Planejamento ecológico de sistemas de água para construções – um impulso à restauração das águas no litoral norte paulista e sul fluminense
Com Guilherme
Castagna


Data: 25 e 26 de junho
Local: Bananal Ecolodge – Sertão do Ubatumirim – Ubatuba/SP

Os princípios de planejamento ecológico oferecem diretrizes para o redesenho das ocupações humanas de forma que água, alimento e abrigo estejam livremente disponíveis para toda humanidade. Toda e qualquer construção, independente da escala, pode e deve atuar de forma positivo sobre o ambiente construído, urbano ou rural. Neste curso exploraremos as estratégias e técnicas de manejo de água aplicados no Bananal Ecolodge, de forma que as demandas ecológicas do terreno, bem como do empreendimento fossem plenamente atendidos em abundância, com minima manutenção, e com a recriação de ciclos benéficos locais. Como? Veremos na prática como se dá o planejamento, operação e manutenção dos sistemas implantados no Bananal:
• Sistema de aproveitamento de água da chuva.
• Retenção, infiltração e paisagismo com jardins de chuva.
• Sistemas de filtragem e purificação da água.
• Sistemas biológicos de tratamento de esgoto com plantas aquáticas e produção de biogás.
• Telhados Verdes.

Guilherme Castagna
Sócio-fundador da Fluxus Design Ecológico, desde 2006 integra sua formação como engenheiro civil aos princípios de design ecológico na elaboração de projetos de sistemas inovadores de manejo integrado de água. Viveu em Ubatuba de 2006 a 2009, quando trabalhou com comunidades caiçaras, e integrou a CT-SAN do CBH-LN (Câmara Técnica de Saneamento do Comitê de Bacias Hidrográficas do Litoral Norte). É ativista, facilitador de cursos de permacultura e de manejo integrado de água, co-fundador do Movimento Cisterna Já, membro da Aliança pela Água SP, e colaborador de diversas ONGs. Projetou e acompanhou a implantação dos sistemas de água do Bananal Ecolodge. Premiado no Brasil e no exterior, teve 3 de seus projetos recentemente elencados na lista TOP100 da arquitetura brasileira, conforme o portal ArchDaily Brasil.

Valor por aluno de outras cidades: R$ 560,00
Inclui: Curso, duas diárias com café da manhã da manhã (suítes para 3 pessoas) e quatro refeições no Bananal Ecolodge. Chegada dia 24 a partir das 17:00.

Valor por aluno morador de Ubatuba (sem hospedagem): R$ 110,00
Inclui: o curso de dois dias e dois almoços.

Para moradores do Sertão do Ubatumirim e comunidades Tradicionais o curso é gratuito com colaboração espontânea ou trocas!

Para alunos sem hospedagem as aulas serão:
Sábado e Domingo das 9:30 às 17:00

Vagas Limitadas!
Inscrições até 19 de junho
Mais informações e reservas:
pelo site www.ecobananal.com.br – reservas
ou e-mail reservas@ecobananal.com.br ou (12) 99600-2145 / (11) 98210-0156, ou pela página do evento no Facebook: https://www.facebook.com/events/1086352574758460/

Palestra no Escritório Piloto da Escola Politécnica da USP

De tanto em tanto sou convidado a oferecer palestras, e fico feliz em compartilhar com gente nova e empenhada, que está afim de ouvir e trocar experiências, duvidas e sonhos. Por estar na universidade me fez lembrar de minha retomada no mundo da Engenharia, e da sequência de palestras com o Professor Plinio Tomaz, que adotei como Mestre nesse reinício, um figura cuja atitude de compartilhar o conteúdo me ajudou a esclarecer muitas de minhas dúvidas, e que inspira meu barato de compartilhar materiais de estudo e de trabalho. Aliás, gratidão Plinio!

O filtro do dia foi a chuva que caiu implacável, depois de 30 dias de seca em SP, engarrafando o trânsito e empatando o meio de campo de quem estava a caminho da palestra, eu inclusive. Mas curto chuva, e o pessoal presente, pelo jeito, também. Sala cheia, conhecidos, amigos e gente nova, curto a vibe!  Me lembrou do Centro Acadêmico da Mauá, só faltou a mesa de pebolim, os gritos de truco, e o cheiro das máquinas de xerox, inconfundíveis.

 

 

10308336_740254199358254_143909627216261432_n

 

 

Prá não ter que reescrever algo que já foi escrito, compartilho aqui um relato produzido sobre o encontro:

“Realizada no dia 22 de Maio a convite do Escritório Piloto da Escola Politécnica no dia 22/Mai, a palestra e apresentação de Guilherme Castagna atraiu alunos de outros cursos da Universidade de São Paulo, além de alunos e professores de outras universidades, bem como de profissionais envolvidos na temática do uso sustentável da Água para uma apresentação voltada aos alunos do curso de Engenharia. Guilherme compartilhou sua trajetória como Engenheiro Civil, do encantamento inicial com o potencial realizador da engenharia e o início de carreira em obras de construção pesada, do descontentamento gerado pelo reconhecimento do impacto negativo das grandes obras e mudança de rumo profissional com o envolvimento com a permacultura e organizações sócio ambientais, até a retomada profissional como engenheiro, integrando sua formação acadêmica com a perspectiva do design ecológico, dedicado a unir as duas para a promoção de uma integração harmoniosa entre a sociedade e a agua. Destacou a visão em que os alunos passam a ser sementes de uma nova abordagem da engenharia, uma que enxerga e valoriza o potencial do homem no suporte a regeneração dos sistemas naturais, e promove o desenvolvimento da sociedade com base em princípios éticos e de abundancia, numa referencia a obra “Manual de Instruções da Espaçonave Terra”, do engenheiro e visionário americano Buckminster Fuller, e obviamente à permacultura.

Revisitou princípios básicos do design ecológico em aplicações praticas para o Manejo Integrado de Agua, destacando o potencial de geração de impacto positivo das edificações com a redução do consumo de água potável através da adoção de medidas e equipamentos de baixo consumo, complementado pelo aproveitamento de fontes locais para abastecimento de água não-potável, a integração da chuva na paisagem com adoção de técnicas de drenagem sustentável, e o tratamento diferenciado de águas servidas, com a valorização de tratamentos localizados para águas cinzas (sem fezes) e águas pretas (com fezes), fazendo referências à projetos de edifícios residenciais e comerciais, integrantes de seu portfolio de trabalho. Elucidou a aplicação prática dos princípios revisitando dois de seus mais conhecidos e premiados projetos: o Edifício Harmonia 57, vencedor do prêmio internacional Zumtobel 2010 de Sustentabilidade no Ambiente Construído, e destaque nas Bienais de Veneza e de São Paulo, para o qual desenvolveu estratégia e projeto técnico de instalações hidráulicas, aproveitamento de agua de drenagem e de agua de chuva, alinhados a perspectiva do desenvolvimento de baixo impacto (LID – Low Impact Development), em que é minimizado o escoamento superficial, e promovida a melhoria da qualidade da água de escoamento, com uso de telhado verde, paredes verdes dotadas de irrigação por nebulização, e infiltração de água. A seguir despertou a atenção o desenvolvimento de projeto de manejo integrado de aguas pluviais elaborado entre 2012 e 2013 para o entorno do Estádio Nacional de Brasília, em que 100% do uso de agua não-potável do estádio será de água de chuva, tanto dos volumes captado nas coberturas, mas em especial pelos volumes retidos nos elementos de drenagem sustentável adotados, como pavimentos permeáveis, biovaletas, jardins de chuva, wetlands, e um lago, dotado de bombas solares para recirculação e posterior uso para usos não-potáveis no interior do estádio. O estádio hoje pleiteia o nível máximo de certificação LEED, no nível Platinum, certificação não atingida por nenhum outro estádio no mundo. O projeto desenvolvido pela Fluxus Design Ecológico, escritório coordenado por Guilherme, superou as exigências para a certificação estabelecido pelos créditos 6.1 e 6.2, e alcançou níveis exemplares abrindo espaço para pleitear créditos adicionais em função de sua excelência.

O material apresentado está disponível para visualização e download no endereço http://pt.slideshare.net/guicastagna/palestra-no-escritrio-piloto-da-escola-politcnica-da-usp

Apesar de rápido, adorei o encontro, e me empolgo com as possibilidades de facilitar a criação de um espaço renovado dentro da academia para que Engenharia e Permacultura sigam caminhando de mãos dadas, fluindo nas mentes e corações inspirados dos novos alunos, e nas ações promissoras dos futuros engenheiros-permacultores. Convites de parcerias com universidades reforçam  o sentimento. Que assim seja!

PS: Meu sincero agradecimento ao Lucca do EP pelo convite, e ao Bruno pela carona…