Aplicação da tecnologia flowform para o tratamento de esgoto da cidade de Soerendonk (Holanda)

Na reta final para a realização do curso “A Natureza Rítmica da Água“, compartilhamos o artigo abaixo, escrito por Paul Van Dijk (facilitador do curso) e traduzido pelos parceiros do Curso do Rio, em que o autor compartilha os princípios fundamentais da aplicação da tecnologia dos flowforms para a revitalização da água tratada por uma ETE na cidade de Soerendonk, na Holanda. Uma experiência de revitalização plena e de elevados princípios de restauração ecológica.

O Curso acontece dos dias 03 a 05 de Julho na Fazenda Retiro, em Ilhabela. Estaremos lá!

Boa leitura!

http://cursodorio.com.br/home/aplicacao-da-tecnologia-flowform-no-tratamento-de-agua-de-esgoto-em-soerendonk-holanda/

Aplicação da Tecnologia Flowform® no Tratamento de Água de Esgoto em Soerendonk – Holanda

Situação e Ambição

Escondida atrás da densa vegetação, a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Soerendonk já trata a água de esgoto doméstico das cidades vizinhas há mais de 40 anos. Visando modernizar esta ETE, o Comitê de Águas De Dommel começou a considerar as mais modernas tecnologias disponíveis na Europa.
O desempenho técnico de purificação da ETE foi melhorado. A integração na paisagem foi garantida pelo cuidado com a arquitetura, com a preservação de estruturas verdes e com o reforço dos principais elementos da estrutura ecológica. Trilhas de caminhada e ciclismo ao longo dos cursos d’água foram integrados em um circuito regional de lazer.
Em uma Gaita D’Água (Water Harmonica) construída em grande escala, na qual o efluente dos filtros de areia é oxigenado e ritmicamente tratado em uma cascata de flowforms®. Deste modo o efluente é limpo de resíduos bacterianos e inoculado com os organismos típicos da flora e fauna da micro bacia. O resultado é a pedra fundamenta deste projeto servindo integralmente às ambições do comitê. Outros objetivos alcançados são a melhoria da qualidade dos efluentes, armazenamento de água na bacia hidrográfica, restauração da paisagem natural e a criação de opções recreativas e educativas para o público.

A Gaita D’Água

Flowforms in SWTP Soerendonk (Engels)O design da Gaita D’Água Soerendonk é composto por três seções,  construídas no entorno da ETE convencional: lagoas daphnia (1), pântanos vegetados (2) e a  lagoa pró biótica (3) (a partir de onde a água é levada através de uma passagem de peixes para o rio Buulder Aa ). O filtro de areia faz com que seja possível poupar espaço, porque por este filtro a carga da matéria em suspensão nos tanques de daphnia diminui. Além disso a economia de espaço é obtida usando o pântano vegetado parcialmente como um filtro, com plantas aquáticas submersas. Todo o efluente das águas residuais de 40.000 habitantes (5000 m³/d) é tratado nesse sistema, com capacidade hidráulica máxima de 1.000 m³/h. No total, o tempo que a água permanece na Gaita é de 4 dias.
Todo o sistema  da Gaita D’Água Soerendonk é aberto ao público. Um percurso de bicicleta leva à uma ponte sobre as lagoas de daphnia na seção 1 (linha amarela, à direita da figura 1), com vista para a cascata de flowforms®. Por meio de um passeio as seções 2 e 3 podem ser visitadas e experienciadas.

A Cascata de Flowform®

Entre o filtro de areia da antiga instalação convencional (diretamente acima de 1) e as Flowforms in SWTP Soerendonk (Engels)logoas de daphnia, foi construída uma cascata de flowform® (à direita de 1), que da ao efluente um tratamento rítmico. Pela primeira vez no mundo todo o fluxo de efluentes de uma estação de tratamento de esgoto será integralmente submetido a um processo rítmico de vitalização, o que não só irá melhorar a quantidade de oxigênio na água de uma forma perfeita, mas que também tem um efeito estimulante sobre toda a ecologia da bacia hidrográfica. Esse sistema foi desenhado pelo artista Paul van Dijk, que enfrentou o desafio de traduzir os modelos existentes de flowform em pequena escala para um conceito tecnicamente viável para grandes vazões, lidando também com uma inclinação muito sutil (5%).
O movimento extremamente vivaz da água pode ser observado a partir da ponte para bicicletas.
A cascata consiste em 45 fileiras de flowform® cobrindo uma área de cerca de 30 x 6 metros. Uma fileira contém 6 módulos. Cada módulo consiste de 3 flowforms®. Consequentemente, uma fileira é composta por 18 flowforms®.
O fluxo total de água que abastece o sistema é distribuído igualmente entre estas 45 fileiras.
Uma unidade flowform®, projeto de Paul van Dijk, mede cerca de 50 x 100 x 15 cm, é feita de um poliéster(totalmente fechado) e preenchida com espuma PU. Uma unidade contém 3 Flowforms®.

Ritmo e Tecnologia  Flowform®

A água é a portadora da vida. Água saudável é de importância crucial para a emergência e manutenção dos processos vitais.
Paul van Dijk: “pela observação cuidadosa do comportamento da água em diferentes situações naturais, torna-se claro que é da natureza das águas reagir com ritmo à resistência, por menor que esta seja. E, em particular, com um trajeto de vórtices espiralando para a esquerda e a para direita. Pense, por exemplo, em um rio sinuoso  ou na sequência de vórtices gerados atrás de um pilar em um rio. Com vórtices em espirais rítmicas a água esta em seu elemento”.

Flowforms in SWTP Soerendonk (Engels)

Imagem 1: Uma trilha de vórtices feita pelo movimento linear de um pincel da esquerda para a direita em água parada, visível pelo uso de um contraste branco.
Imagem 2:Diagrama dos movimentos da água através de uma cascata de flowforms.

Paul: “Na concepção de um flowform® eu tento “estruturar” a resistência criando relações sutis e curvaturas nas superfícies, de modo que a água reaja com um ritmo persistente no padrão de fluxo em lemniscata. É isso que eu chamo do princípio da fowform®. O flowform® foi desenvolvido empiricamente de acordo com a natureza da própria água. A água que foi ritmicamente tratada desta maneira pode ser portadora de uma variedade de processos de vida “.

Flowforms in SWTP Soerendonk (Engels)

Primeiro no Mundo

Flowforms in SWTP Soerendonk (Engels)Essa é a primeira vez que o princípio da flowform® encontra aplicação nessa escala, para um volume grande de água e com tão pouca inclinação (aqui houve pouca declividade disponível, apenas 30 cm). Este projeto foi concluído na Primavera de 2012.

 

 

 

Tradução: Esse artigo foi traduzido por Gabriel Barbosa Lima com autorização direta de Paul Van Dijk

Bibliografia: Schwuchow: água energizante, tecnologia flowform e o poder da natureza. Sophia Books, Reino Unido de 2010.
John Wilkes: Flowforms. O poder rítmico da água. Floris Books, Reino Unido de 2003.
Theodor Schwenk: Das caos sensata. Verlag Freies Geistesleben. Stuttgart (DE) 1962
http://www.paul-van-dijk.com

Série de cursos inspiradores sobre a Água – Junho & Julho em São Paulo

A crise de abastecimento de água que todo o Sudeste do país vive de maneira intensa vem abrindo espaço para reflexões profundas sobre sua origem, e estimulando o desenvolvimento de uma nova consciência, prática, de convivência harmoniosa com a Água. Como parte deste movimento temos a feliz oportunidade de presenciar a realização de uma série de cursos que trazem um olhar sutil, que busca compreender a natureza essencial da água para a partir dai desenvolver formas ainda mais inovadoras e profundas de colaboração com este que é o elemento essencial da Vida neste planeta. À Água, e aos novos e ancestrais cuidadores do liquido primordial, em especial o originador desse olhar – Viktor Schauberger – nossa profunda reverência!

Cursodorio2015

O Curso do Rio trás ao Brasil o pioneiro Paul van Dijk, em 4 cursos inéditos em que vai compartilhar conosco mais de 40 anos de experiência na aplicação do Pensamento Orgânico aos mais variados contextos da vida prática.

Paul é responsável por diversos projetos de tratamento de águas em escala industrial utilizando Flowforms – um método inspirado na natureza da água, que restabelece sua vitalidade e permite tratar com alta qualidade grandes quantidades de água a custos baixos. Paul é discípulo direto de John Wilkes, autor do livro Flowforms, trazido ao Brasil pela Editora Senac.

Botânica, escultura, performance e aprendizagem também são expressões da paixão de Paul pelo tema da Metamorfose, do Movimento e da Forma, um explorador e professor dedicado da Ciência Goethenística, que domina como poucos sua aplicação no Universo da Água!

Serão 4 cursos oferecidos entre São Paulo e Ilhabela (SP):

22 de Junho – Água: equilíbrio dinâmico entre polaridades, Espaço Cultural Rudolf Steiner, São Paulo (PDF)

24 de Junho – Um Novo Olhar para Plantas, Espaço Cultural Rudolf Steiner, São Paulo (PDF)

26, 27 e 28 de Junho – Pense como Natureza, Espaço Cultural Rudolf Steiner, São Paulo (PDF)

3, 4 e 5 de Julho – A Natureza Rítmica da Água, Fazenda Retiro Ilhabela/SP (PDF)

Uma oportunidade única de mergulhar em novos conhecimentos! Viu os PDF’s e quer saber mais? Confira o site do Curso do Rio!

Participe, e ajude a divulgar, colaborando para trazer este conhecimento de forma prática às nossas vidas e às nossas cidades!

Conteudo da palestra no Seminario Nacional de Arquitetura Paisagistica

A apresentacao do Seminario ja esta disponivel para download na integra no link http://pt.slideshare.net/guicastagna/seminario-nacional-arquitetura-paisagistica-em-tempos-de-crise. Caso identifique a fonte de uma imagem nao referenciada, peco a gentileza de me informar para que eu ajuste os devidos creditos.

Tela apresentacao

A apresentacao esta disponivel em formato powerpoint com comentarios no corpo da apresentacao, faca bom uso! E use as imagens a vontade, sempre fazendo referencia as diversas fontes mencionadas.

Bons estudos!

 

Guilherme Castagna

Curso: Manejo Ecológico de Água (Humanaterra, de 01 a 03/Maio)

Acontece de 01 a 03/Maio, na sede do Instituto Humanaterra, em São Lourenço da Serra/SP, a apenas 50km de São Paulo, mais um curso de Manejo de Água facilitado por Guilherme Castagna. Dessa vez com 3 dias de duração, para balancear teoria e prática, ações e reflexões, vamos dedicar um tempo ao exercício de planejamento da sede do Instituto, que irá contar com roda d´agua para bombeamento de água, diversos sistemas de captação, aproveitamento, e manejo de água de chuva na paisagem, com uso e abuso de jardins de chuva e canais de infiltração (swales), banheiro seco, tratamento de águas cinzas (sem fezes) e pretas (do vaso sanitário), irrigação de frutíferas com água cinza, e tratamento de água em pequena escala.

cartaz AGUA maio 2015

 

As ações realizadas a cada curso vão gerando a resiliência necessária para o instituto, e vão transformando a sede numa referência aplicada para os moradores do entorno e da cidade. Com o curso do ano passado já temos no lugar dois canais de infiltração plantados e estabelecidos na encosta, um vermifiltro para tratamento de água do vaso do alojamento e do futuro vestiário, dois círculos de bananeiras instalados em áreas inclinadas, e a estrutura básica de um filtro lento de areia, que receberá água de chuva captada de um telhado elevado, abastecendo a sede com três fontes de água: nascente + roda d´agua instalada no pequeno córrego local + água de chuva!

Desta vez vamos montar um sistema de aproveitamento de água de chuva com uma cisterna de 5.000 litros, terminar de montar um filtro lento de areia com capacidade de tratamento de 2.000 litros por dia para receber a água de chuva captada, e conecta-la a um conjunto de caixas existentes – se chover já vamos beber dessa água! Vamos ainda montar um filtro lento de areia caseiro para tratar água em pequenos volumes para ingestão, um filtro ainda pouco utilizado no Brasil e com enorme potencial de aplicação na melhora das condições de abastecimento em comunidades isoladas para uso com água de chuva, ou água de nascente.

O curso é oferecido a técnicos ou leigos, e foca nos princípios básicos, e oferece cálculos simplificados de dimensionamento dos sistemas abordados para todas as idades e formações. Se você quer aprender a lidar com a água de maneira integrada, está afim de trocar experiências e colocar a mão na massa, e se preparar melhor para a grave e complexa crise de Água que chegou para ficar, taí a oportunidade!

 Atenção! Curso confirmado, últimas vagas!

Para mais informações, acesse: http://www.humanaterra.org/2015/02/04/agua-manejo-ecologico/

Palestra no Seminário Nacional de Arquitetura Paisagística – 27/Abr

Como projetar paisagens que acolham e integrem a água de maneira funcional em seus projetos? Como escolher plantas apropriadas para baixa disponibilidade de água? Como projetar áreas verdes considerando as possibilidades de incorporar água de reuso? Essas são algumas questões abordadadas no Seminário Nacional: Arquitetura Paisagística em tempos de crise hídrica, no qual teremos o prazer de oferecer uma palestra focada na incorporação dos conceitos da dita “Infraestrutura Verde”, ou por assim dizer, dos serviços ecossistêmicos oferecidos pela natureza inseridos num contexto de planejamento urbano em que o manejo apropriado de água passa a ser incorporado como elemento fundamental para a criação de cidades mais resilientes. Bom assunto para um, ou mais dedos de prosa!

Mais informações em http://www.abap.org.br

Sem título-1

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Saudações!

Palestra Água, Cidade e Permacultura: Do colapso à resiliência (01/Abr – 12hs)

Na Faculdade de Medicina da USP, à Avenida Doutor Arnaldo, 455 – metrô Clínicas, São Paulo.
Dia 01/Abr, às 12hs, no anfiteatro da Patologia.
Que desafios enfrentamos adiante com o cenário de escassez e crescente contaminação de água na cidade? Como lidar com o surgimento de bactérias resistentes a antibióticos, com a presença de hormonios, farmacos e drogas diversas na água de abastecimento? Uma oportunidade para refletir sobre o colapso do sistema de abastecimento da cidade, e sobre os caminhos para saída rumo a resiliência urbana. Venha! Compartilhe e ajude a divulgar!

Água e Energia - Palestra na FMUSP