Fluxus apresenta projeto de manejo integrado de águas pluviais do Estádio de Brasília na 5ª Green Building Brasil (Green Building Int’l Conference and Expo 2014)

O Green Building Brasil é o maior encontro sobre construção sustentável realizado no país, sob os cuidados do Green Building Council (GBC) Brasil. Neste ano o evento está sendo  organizado em conjunto com o GBC Internacional, recebendo o Green Building International Conference and Expo, com as novidades mundiais do setor, bem como a visita de palestrantes de renome internacional.

Tendo sido convidado previamente para exposição na Expo GBC 2012, com a palestra “Design para Abundância – Design Ecológico aplicado ao manejo de água no ambiente construído”, Guilherme Castagna, diretor executivo da Fluxus, apresentará o projeto de manejo integrado de águas pluviais do Estádio Nacional de Brasília, em parceria com o arquiteto paisagista Benedito Abbud, com o tema “Arquitetura paisagística sustentável e manejo de águas pluviais no Estádio Nacional de Brasília”, no dia 07/Ago, às 9:30, no salão amarelo.

O empreendimento

O Estádio Nacional Mané Garrincha (ou Estádio Nacional de Brasília), impressiona pelas dimensões: com uma área construída de 218,8 mil m² e capacidade para 70 mil torcedores, é considerado o segundo maior estádio do Brasil. Com projeto de arquitetura assinado por Castro Mello Arquitetura Esportiva e arquitetura paisagística por Benedito Abbud, a construção traz uma solução inovadora no que compete ao manejo de água da chuva. A cobertura com área de 65 mil m² e o entorno do empreendimento com mais de 600 mil m² foram projetados para a retenção, infiltração, e melhoria da qualidade da água de escoamento superficial.

Essa estrategia de trabalho possui uma serie de nomenclaturas, como SUDS (Sistemas Urbanos de Drenagem Sustentavel), WSUD (Design Urbano Sensivel a Agua – Water Sensitive Urban Design), LID (Desenvolvimento de Baixo Impacto – Low Impact Development), Stormwater BMP’s (Boas Práticas na Gestão de Água de Chuva) e essencialmente busca ‘rehidratar’ a paisagem, principalmente urbana, em que o aumento indiscriminado das áreas impermeabilizadas impede a permanência da água no ambiente, causando enchentes nos fundos de vale, poluição de rios e córregos, redução da umidade do ar, ilhas de calor, e outros graves impactos à qualidade de vida.

Benedito Abbud e a equipe Fluxus Design Ecológico, elaboraram uma solução que integra elementos tais como biovaletas, lagos, wetlands e jardins de chuva ao desenho paisagístico. “Está prevista também a pavimentação com pisos drenantes, o que mantém grande porcentagem da permeabilidade natural do solo para receber as águas pluviais”, destaca Abbud que, no Brasil, estimulou de forma pioneira o desenvolvimento dessa tipologia de piso.

A melhoria da qualidade de água de escoamento é tão grande que possibilitou o aproveitamento da água nos usos não-potáveis do estádio, complementando os volumes retidos internamente pela cobertura, alcançando 100% do abastecimento nos vasos sanitários, mictórios, irrigação do campo, abastecimento de espelhos d’agua, e limpeza de áreas comuns, em um volume estimado de 16 milhões de litros por ano.

Perspectiva artística da implantação

Ambientes de estar e convívio junto à natureza abertos ao uso público com acessibilidade universal, equipamentos urbanos para lazer e práticas de esportes, calçamento e a construção de um museu a céu aberto sobre a história do futebol para valorizar questões sociais e culturais brasileiras também fazem parte do projeto.

Flora nativa e materiais ecológicos

A necessidade de redução no consumo de água direcionou a escolha das espécies do paisagismo. Nativas do cerrado, árvores como Copaíba, Buriti, Aroeira e Embiruçu têm como vantagem o consumo reduzido de água para irrigação e manutenção. “A arborização e materiais, como os pisos drenantes, contribuem para a devolução de área verde e permeável para a cidade, considerando que o local, anteriormente, abrigava apenas um grande estacionamento asfaltado”, ressalta Benedito Abbud.

Em harmonia com o ambiente e atrativas a pássaros, as árvores frutíferas também estarão presentes. Nesse caso, a opção foi pelas nativas produtoras de frutos como o jatobá do cerrado, o jamelão e o pequi, bastante popular na cozinha goiana. Ao todo, serão plantadas 6.500 árvores e palmeiras. Curiosidade: de um total de 12 espécies de árvores nativas do cerrado tombadas como Patrimônio Ecológico do Distrito Federal, nove serão integradas ao projeto.

Imagens do Estádio Nacional de Brasília: https://www.flickr.com/photos/pitangacomunicacao/sets/72157645804008223/

Matéria de capa da Revista Infraestrutura Urbana sobre o projeto de manejo de águas pluviais (Abr/2014)

http://pt.slideshare.net/guicastagna/revista-infraestrutura-mar2014-manejo-integrado-de-guas-pluviais-do-estdio-nacional-de-braslia

Serviço

Palestra Benedito Abbud e Guilherme Castagna – “Arquitetura paisagística sustentável e manejo de águas pluviais no Estádio Nacional de Brasília”

Data: 07 de agosto de 2014

Horário: 09h40

Evento: Conferência Internacional 5ª GreenBuilding Brasil

Local: Transamérica Expo Center

Saiba mais:

Benedito Abbud Arquitetura Paisagística – www.beneditoabbud.com.br

Fluxus Design Ecológico – http://fluxusdesignecologico.wordpress.com

GBC Brasil – www.gbcbrasil.org.br

Mais informações

Assessoria de imprensa Benedito Abbud

Atendimento: Milka Veríssimo – (11) 2369-4445 / 9 5761-2703 – contato1@pitanganews.com

Fluxus Design Ecológico

Guilherme Castagna – (11) 9 8316-2647 – fluxus@designecologico.net

Mostra Rios e Ruas, e o despertar de Sampa para seus rios

Você sabia que SP tem mais de 3.000km de rios escondidos abaixo do asfalto? Se este número te soa estranho venha se surpreender com os fatos, fotos, e todo conteúdo explorado pela Mostra Rios e Ruas, que acontece na Praça Victor Civita até o dia 31/Julho, e que conta hoje com uma oficina tocada pela iniciativa Rios e Ruas, junto à programação do Planeta no Parque 2014.

A iniciativa coordenada pelos queridos José Bueno e Luiz de Campos Jr, inspiradora da Mostra de mesmo nome, leva as pessoas a conhecerem nascentes e rios da cidade, resgatando a história e os motivos que a levaram a esconder seus rios e córregos, mostrando os enormes impactos negativos dessa escolha, e discutindo os caminhos possíveis para trazer os rios novamente à tona. As oficinas acontecem a pé ou de bicicleta, percorrendo os caminhos das nascentes à foz, traduzindo os sinais da presença da água na paisagem urbana aos olhares destreinados: taiobas, lírios e figueiras mostrando a presença invisível da água em praças e áreas verdes, nascentes de água límpida brotando em meio ao concreto, água bombeada do subsolo dos prédios na sarjeta das ruas, são apenas alguns sinais. Alem das expedições, a Mostra Cultural expõe conteúdo instigante em infográficos, fotos e textos expostos em painéis na Praça, além de trabalhos com a visão singular de artistas sobre a cidade e sua relação com a água, do grafite do Zezão, às instalações de Eduardo Srur, e desenhos, pinturas e ilustrações de Danilo Zamboni, Paulo Von Poser e Carla Caffé.

A Mostra sensibiliza, pela consciência e pelos sentidos, para a adoção de uma nova forma de se relacionar com a Água nas cidades, o mote que move a Fluxus desde sua criação. É uma alegria e uma honra fazer parte deste movimento, de pessoas e instituições dedicadas e apaixonadas pela causa, gente que faz! Confiram e atentem aos novos passos da Mostra, vem coisa boa por ai!

Palestra no Escritório Piloto da Escola Politécnica da USP

De tanto em tanto sou convidado a oferecer palestras, e fico feliz em compartilhar com gente nova e empenhada, que está afim de ouvir e trocar experiências, duvidas e sonhos. Por estar na universidade me fez lembrar de minha retomada no mundo da Engenharia, e da sequência de palestras com o Professor Plinio Tomaz, que adotei como Mestre nesse reinício, um figura cuja atitude de compartilhar o conteúdo me ajudou a esclarecer muitas de minhas dúvidas, e que inspira meu barato de compartilhar materiais de estudo e de trabalho. Aliás, gratidão Plinio!

O filtro do dia foi a chuva que caiu implacável, depois de 30 dias de seca em SP, engarrafando o trânsito e empatando o meio de campo de quem estava a caminho da palestra, eu inclusive. Mas curto chuva, e o pessoal presente, pelo jeito, também. Sala cheia, conhecidos, amigos e gente nova, curto a vibe!  Me lembrou do Centro Acadêmico da Mauá, só faltou a mesa de pebolim, os gritos de truco, e o cheiro das máquinas de xerox, inconfundíveis.

 

 

10308336_740254199358254_143909627216261432_n

 

 

Prá não ter que reescrever algo que já foi escrito, compartilho aqui um relato produzido sobre o encontro:

“Realizada no dia 22 de Maio a convite do Escritório Piloto da Escola Politécnica no dia 22/Mai, a palestra e apresentação de Guilherme Castagna atraiu alunos de outros cursos da Universidade de São Paulo, além de alunos e professores de outras universidades, bem como de profissionais envolvidos na temática do uso sustentável da Água para uma apresentação voltada aos alunos do curso de Engenharia. Guilherme compartilhou sua trajetória como Engenheiro Civil, do encantamento inicial com o potencial realizador da engenharia e o início de carreira em obras de construção pesada, do descontentamento gerado pelo reconhecimento do impacto negativo das grandes obras e mudança de rumo profissional com o envolvimento com a permacultura e organizações sócio ambientais, até a retomada profissional como engenheiro, integrando sua formação acadêmica com a perspectiva do design ecológico, dedicado a unir as duas para a promoção de uma integração harmoniosa entre a sociedade e a agua. Destacou a visão em que os alunos passam a ser sementes de uma nova abordagem da engenharia, uma que enxerga e valoriza o potencial do homem no suporte a regeneração dos sistemas naturais, e promove o desenvolvimento da sociedade com base em princípios éticos e de abundancia, numa referencia a obra “Manual de Instruções da Espaçonave Terra”, do engenheiro e visionário americano Buckminster Fuller, e obviamente à permacultura.

Revisitou princípios básicos do design ecológico em aplicações praticas para o Manejo Integrado de Agua, destacando o potencial de geração de impacto positivo das edificações com a redução do consumo de água potável através da adoção de medidas e equipamentos de baixo consumo, complementado pelo aproveitamento de fontes locais para abastecimento de água não-potável, a integração da chuva na paisagem com adoção de técnicas de drenagem sustentável, e o tratamento diferenciado de águas servidas, com a valorização de tratamentos localizados para águas cinzas (sem fezes) e águas pretas (com fezes), fazendo referências à projetos de edifícios residenciais e comerciais, integrantes de seu portfolio de trabalho. Elucidou a aplicação prática dos princípios revisitando dois de seus mais conhecidos e premiados projetos: o Edifício Harmonia 57, vencedor do prêmio internacional Zumtobel 2010 de Sustentabilidade no Ambiente Construído, e destaque nas Bienais de Veneza e de São Paulo, para o qual desenvolveu estratégia e projeto técnico de instalações hidráulicas, aproveitamento de agua de drenagem e de agua de chuva, alinhados a perspectiva do desenvolvimento de baixo impacto (LID – Low Impact Development), em que é minimizado o escoamento superficial, e promovida a melhoria da qualidade da água de escoamento, com uso de telhado verde, paredes verdes dotadas de irrigação por nebulização, e infiltração de água. A seguir despertou a atenção o desenvolvimento de projeto de manejo integrado de aguas pluviais elaborado entre 2012 e 2013 para o entorno do Estádio Nacional de Brasília, em que 100% do uso de agua não-potável do estádio será de água de chuva, tanto dos volumes captado nas coberturas, mas em especial pelos volumes retidos nos elementos de drenagem sustentável adotados, como pavimentos permeáveis, biovaletas, jardins de chuva, wetlands, e um lago, dotado de bombas solares para recirculação e posterior uso para usos não-potáveis no interior do estádio. O estádio hoje pleiteia o nível máximo de certificação LEED, no nível Platinum, certificação não atingida por nenhum outro estádio no mundo. O projeto desenvolvido pela Fluxus Design Ecológico, escritório coordenado por Guilherme, superou as exigências para a certificação estabelecido pelos créditos 6.1 e 6.2, e alcançou níveis exemplares abrindo espaço para pleitear créditos adicionais em função de sua excelência.

O material apresentado está disponível para visualização e download no endereço http://pt.slideshare.net/guicastagna/palestra-no-escritrio-piloto-da-escola-politcnica-da-usp

Apesar de rápido, adorei o encontro, e me empolgo com as possibilidades de facilitar a criação de um espaço renovado dentro da academia para que Engenharia e Permacultura sigam caminhando de mãos dadas, fluindo nas mentes e corações inspirados dos novos alunos, e nas ações promissoras dos futuros engenheiros-permacultores. Convites de parcerias com universidades reforçam  o sentimento. Que assim seja!

PS: Meu sincero agradecimento ao Lucca do EP pelo convite, e ao Bruno pela carona…

 

Resultados do WORKSHOP de Aproveitamento de Água de chuva na Casinha

Queridos amigos e parceiros.

Para manter os amantes da água atualizados, assim como todos os outros interessados pela engenharia da água e permacultura, e suas novas formas de relação no dia-a-dia, seguem as imagens dos resultados do WORKSHOP de aproveitamento de água de chuva simplificado realizados no escritório compartilhado entre Fluxus, Livraria Tapioca.Net, EcoSapiens e Estúdio Varanda, durante os dias 22 e 26 de Abril de 2014, na Zona Oeste de São Paulo, SP. Idealizado para pessoas com ou sem experiência, independente de suas formações, teve como objetivo implantar um sistema simplificado de aproveitamento em pequena escala, mas que apresentasse todos os elementos de projeto, independente da escala do projeto a ser desenvolvido: filtro de folhas, descarte de primeira água, freio d’agua, ladrão, etc.

Abaixo algumas fotos do desenvolvimento do WORKSHOP.

 

Apresentação do Exercício em Grupo Pré-projeto

Apresentação do exercício em grupo e apresentação de pré-projeto

Discussão em grupos para montagem dos equipamentos necessários ao Sist. de AAC

Discussão em grupos para montagem dos equipamentos necessários ao sistema de Aproveitamento de Água de Chuva

Equipe da Cisterna trabalhando

Equipe trabalhando sobre uma cisterna de IBC

Esforço Coletivo para monstagem do Sistema de Descarte Inicial

Esforço Coletivo para monstagem do Sistema de Descarte Inicial

Apoiando a cisterna no seu devido lugar.

Apoiando a cisterna no seu devido lugar

Detalhe do filtro de folhas instalado.

Detalhe do filtro de folhas instalado

Sistema de descarte inicial

Sistema de descarte inicial

Equipe reunida após trabalho coletivo.

Equipe reunida após trabalho coletivo

Aula teórica

Aula teórica

Explicação das rotinas de operação e manutenção do sistema

Explicação das rotinas de operação e manutenção do sistema

Missão cumprida. Agora é aguardar as plantas se desenvolverem.

Missão cumprida. Agora é aguardar as plantas se desenvolverem

O sistema agora vai se integrar ao futuro telhado verde, que será objetivo de uma pesquisa para desenvolvimento de um trabalho de conclusão de curso (TCC), que irá avaliar a capacidade de retenção de água em telhados verdes de diferentes perfis de substrato, bem como a qualidade da água captada em cada módulo do telhado.

Agradeço à todos que estiveram presentes e puderam participar, assim como aqueles que de alguma forma auxiliaram no processo de construção e desenvolvimento do evento, que foi um Sucesso!

Fiquem atentos a notícias e agendas de eventos, divulgadas através do blog e facebook.

Interessou? Cadastre-se no blog e receba as informações postadas aqui.

 

Atenciosamente,

Leonardo Tannous e Equipe Fluxus

 

Curso de Energias Renováveis e montagem de lâmpadas LED de baixo custo

Car@s amig@s,

No início do mês de Abril tivemos a grata oportunidade de aprender sobre a geração de biogás a partir do manejo de esgoto e de outras fontes de matéria orgânica, como plantas aquáticas, resíduos orgânicos e resíduos da produção animal, no curso de Biodigestores e Biossistemas Integrados conduzido por Valmir Fachini. Agora vamos aprofundar na temática das energias renováveis com a condução de Nilson Dias, gerente de projetos do Instituto Pindorama. Sob a perspectiva da permacultura, Nilson abordará estratégias para redução do consumo de energia elétrica, conduzirá oficinas práticas de montagem de lâmpadas LED (mais econômicas, duradouras e amigáveis do que lâmpadas frias ou incandescentes), oferecerá estratégias para solucionar questões de telefonia rural, e nos ensinará como avaliar fontes locais (eólica, solar e hidráulica) para produção de energia renovável, apropriadas a cada contexto, urbano ou rural.

leds

Teremos trechos de teoria, exposições de fotos, estudos de caso e mão na massa, com a montagem e instalação de lâmpadas LED no local do curso, e montagem de um sistema de energia solar fotovoltaico demonstrativo.

Atenção! Não é necessário conhecimento prévio sobre elétrica ou eletrotécnica!

Apenas 15 vagas!

Quando:
24 e 25/Maio de 2014

Onde:
No Sítio Boas Novas, uma propriedade permacultural familiar em pleno processo de implantação na cidade de Pedra Bela, a 120km de São Paulo, situada no início da Serra da Mantiqueira, próximo à Bragança Paulista.

Sobre o facilitador:
fb ledsNilson Dias é Gerente de Projetos do Instituto Pindorama, Permacultor, graduado em Análise de Sistemas e com Pós-graduação em Gerenciamento de Projetos. Técnico em eletrônica desde os 15 anos de idade, oferece cursos e oficinas sobre o tema pelo Brasil, incluindo o tema “energias renováveis” em Curso de Design em Permacultura (PDC) na Morada da Floresta (SP) e no Instituto Pindorama. Participou de vivências em locais de referência como Cal-Earth (Instituto criador do Superadobe na Califórnia), Navdanya com Vandana Shiva, e Satish Kumar em Dehradun.

 

 

 

Inclui:
Certificado, alimentação, e hospedagem em quartos coletivos
(10 camas no local serão destinadas preferencialmente a gestantes e mulheres com crianças de colo, idosos ou portadores de necessidades especiais – traga seu colchonete e/ou saco de dormir)

Alguns Gb de informação (tragam seus HD’s e pen drives)

Investimento:
. preço cheio: R$390

. com desconto: R$350 ( disponível para moradores da região, professores da rede pública de ensino (infantil, fundamental e medio), maiores de sessenta anos, e para grupos a partir de 3 pessoas)

Formas de pagamento:
À vista ou em duas vezes.

+ Informações

Para numero da conta, e outros detalhes do curso: com Guilherme Castagna no endereço fluxus@designecologico.net, ou no fone (11) 98316-2647

 

Realização:
fluxus-final!p

 

 

Livraria Tapioca.Net

 

 

 

 

Apoio:

WORKSHOP – APROVEITAMENTO DE ÁGUA DE CHUVA DE BAIXO IMPACTO – SP

Bem vindos !

É com louvor que apresentamos mais um evento relacionado ao cuidado das Águas no meio urbano.

Aproveitamento da água de chuva em habitações uni-familiares, escritórios compartilhados, sedes de ONG´s,  escolas e creches, seja no meio urbano quanto no meio rural, do semi-árido e caatinga até regiões úmidas.

Este Workshop se destina a arquitetos, engenheiros, projetistas, amantes das águas, permacultores, interessados e pessoas conectadas ao cuidado da água e a redução no consumo de água potável, Bem finito e indispensável para a Manutenção da Vida na Terra.

Convite para WORKSHOP de Aproveitamento de Água de chuva em São Paulo-SP.

Convite para WORKSHOP de Aproveitamento de Água de chuva em São Paulo-SP.

Facilitador:

Leonardo Tannous possui graduação pelo Centro Universitário Senac (2009) como Engenheiro Ambiental, Livre Docência em Permacultura (2008), Paisagista pela Escola Municipal de Jardinagem SVMA (2010) e Designer para a Sustentabilidade – Eccovillage Design Programme – Gaia Education – UMAPAZ/SVMA (2008). Tem experiência na área de Engenharia Ambiental, com ênfase em manejo integrado de água na paisagem, atuando em projetos de aproveitamento de água de chuva, sistemas urbanos de drenagem sustentável, tratamento biológico de efluentes, e como educador socioambiental. Membro da Fluxus Design Ecológico desde Out/2010.

Sobre a Fluxus Design Ecológico:

Fluxus Design Ecológico atua na criação de ambientes regeneradores a partir do manejo integrado de água, em áreas urbanas ou rurais, da escala residencial à comercial ou industrial. É constituída por profissionais com formação acadêmica em arquitetura, agronomia, engenharia civil e ambiental, tendo a Permacultura como elo comum. Fluxus destaca-se pelo desenvolvimento de soluções customizadas de manejo integrado de Água, que contemplam estratégias conjuntas de atendimento das necessidades de curto, médio e longo prazo de empreendimentos, e das demandas do ambiente natural, aliadas a escolhas tecnológicas que apresentem mínimo consumo de recursos, baixa manutenção, alta eficiência, simplicidade de operação, e que essencialmente sirvam de inspiração para uma nova forma de se relacionar com a Água.

DATA:

22 de Abril das 19:00hs às 22:00hs (TEORIA)

&

26 de Abril das 08:30hs às 17:30hs (PRÁTICA)

2014.

Investimento:

R$120,00 à vista

Ou em 2x sendo a primeira parcela no ato da inscrição

e a segunda parcela no dia do evento.

 

Condições especiais para grupos. Entre em contato e verifique.

 

Local:

Rua Pedro Soares de Almeida, 78

 São Paulo, SP (10min do Metrô Vila Madalena)

DÚVIDAS & INSCRIÇÕES:

E-mail: pensaragua@outlook.com

Tel: (11)95146.2776 –tim – ERIKA

(11) 97996.1122 – vivo – LEONARDO

Para efetuar a inscrição é necessário efetuar o depósito

e enviar comprovante anexado para o e-mail acima.

-

Contamos com sua presença!

Curso teórico prático de Biodigestores e Biossistemas Integrados com Valmir Fachini

Car@s amig@s, acreditamos que uma verdadeira revolução no modus operandi de nossa sociedade só acontecerá através da Educação, num formato que sensibilize e una prática e teoria em abordagens sistêmicas. Assim, dedicados que somos a alterar de forma profunda a relação da sociedade com a Água, passaremos a oferecer cursos teórico-práticos, por instrutores projetistas da Fluxus, ou de parceiros competentes, sobre os temas que nos são caros. Para abrir com chave de ouro, teremos o enorme prazer de realizar nosso primeiro curso com a presença e coordenação do grande Mestre Valmir Fachini, fundador do OIA (O Instituto Ambiental), instituição pioneira na implantação de Biossistemas Integrados no país, com algumas centenas de projetos executados no Brasil e em toda América Latina. O curso acontece em um sítio familiar na agradável cidade de Pedra Bela, a 120km de São Paulo, situada no início da Serra da Mantiqueira, próximo à Bragança Paulista. Seja para tratar esgoto domiciliar, resíduos orgânicos ou mesmo efluentes de porcos (considerando que a região é o maior polo produtor de suínos do estado), o biodigestor é uma proposta muito valiosa de tratamento preliminar, e que se integra perfeitamente à proposta dos Biossistemas Integrados.

Biossistema Integrado é um conceito inovador que utiliza efluentes domésticos, de produção animal, e resíduos da agricultura, como fonte de produção de biogás e nutrientes, onde a água tratada é um subproduto do processo. O biodigestor é o primeiro elemento do biossistema, onde o efluente bruto é recebido e transformado em biogás e a matéria orgânica é transformada em nutrientes mineralizados, apropriados para aplicação agrícola, ou para reciclagem com produção de biomassa vegetal, que pode ser utilizada para produção de ração animal, cobertura de solo, compostagem, e uma infinidade de outros usos. Teremos trechos de teoria, exposições de fotos, estudos de caso e muita prática, com a construção de um biodigestor em alvenaria. Se você quer aprender sobre biodigestores, essa é a hora!

Sobre o facilitador: Valmir Fachini é co-fundador do O Instituto Ambiental (OIA), tem mais de 20 anos de experiência prática, da construção dos conhecidos biodigestores para comunidades de baixa renda em Petrópolis, à consultoria para o maior sistema de wetlands (zonas de raízes) implantado na América do Sul, atendendo 80.000 pessoas em Araruama/RJ. Vive desde 2010 no Haiti, onde tem trabalhado desde o terremoto que assolou o país em parceria com a Viva Rio na difusão da tecnologia dos Biossistemas Integrados.

Mais infos em: bit.ly/biodigestores

Prestigie, e compartilhe em suas redes!

Próximos cursos:

22 e 26 Abril: captação de água de chuva com Leonardo Tannous, em São Paulo/SP

10 e 11 Maio: telhado verde com Felipe Pinheiro e Peter Webb, em São Paulo/SP

23 e 24 Maio: energias renováveis e confecção de lâmpadas LED de baixo custo com Nilson Dias, em Pedra Bela/SP